Agenda

Programação IV CVPSE

PARA RECEBER OS LINKS DE ACESSO E SABER COMO CONSEGUIR SEU CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO CLIQUE AQUI E FAÇA SUA INSCRIÇÃO

DE 24 A 27 DE AGOSTO 2016
CLIQUE NO LINK NA HORA AGENDADA OU APÓS

Após a hora agendada as palestras estarão disponíveis para serem acessadas a qualquer momento.

Dia 24/08 – Quarta feira
10h00 – Prof. Luis Anunciação
HANDS ON EM PSICOMETRIA: TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM NO R 

CLIQUE AQUI

Luis Anunciação – Especialista em Medidas psicológicas; Mestre e Doutorando em Psicometria

Resumo do trabalho

Técnicas de estatística e psicometria são essenciais para pesquisas em Psicologia, ainda mais no cenário em que se consideram as evidências científicas para realizar diferentes práticas. Estas técnicas podem ser ensinadas de diversas formas e por inúmeras plataformas e esta exposição pautou-se em como proceder com tais análises utilizando o Software gratuito R. Os dados analisados foram oriundos de duas pesquisas feitas com o instrumento “Tendência Empreendedora Geral – TEG”: uma contou com a participação de especialistas para mensurarem a validade dos itens e a segunda foi relacionada com análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI) frente aos resultados de uma pesquisa preliminar feita em São Paulo/2015. As técnicas matemáticas utilizadas foram o cálculo do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC) e o Modelo de 2 Parâmetros Logísticos (2PL) de uma regressão não-linear.

14H00 – Profa. Martha Caroline

EFICÁCIA AUTORREGULADORA EM ESCRITA DE REDAÇÃO: DIFERENÇAS ENTRE PRÉ-VESTIBULANDOS ORIUNDOS DO ENSINO PÚBLICO E DO PRIVADO

CLIQUE AQUI

Martha Caroline Duarte de Brito Freitas – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
Este trabalho teve como objetivo verificar se haveria diferença entre a crença de autoeficácia para planejar, organizar e executar a escrita de dissertação-argumentativa de 39 alunos oriundos de escola pública e do ensino privado, que cursavam um Pré-Vestibular na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Realizou-se um estudo de caso, através da aplicação de um Inventário de Eficácia Autorreguladora em Escrita, de autoria dos pesquisadores Albert Bandura e Barry Zimmerman (1994). Essa investigação apontou que, com uma pequena diferença, os alunos provenientes de escola particular apresentaram uma crença de autoeficácia mais positiva que os outros que realizaram seus estudos na rede pública, demonstrando que os últimos necessitam mais de direcionamentos e estratégias autorreguladoras que propiciem o desenvolvimento da escrita de redação

DIA 25/08  – QUINTA FEIRA
10h00 – Profa. Beatriz Acampora

SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE ALUNOS DE DOUTORADO

CLIQUE AQUI
Beatriz Acampora e Silva de Oliveira – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:

Atualmente a qualidade de vida vem sendo muito valorizada e envolve indicadores que englobam fatores objetivos, como saneamento básico e subjetivos, como satisfação e valorização da vida. Objetivos: avaliar a saúde e qualidade de vida dos alunos de doutorado dos cursos de ciências da educação e de saúde pública da Universidad Americana e comparar os resultados encontrados em ambos os grupos. Metodologia: Este estudo tem como enfoque a investigação da percepção da qualidade de vida relacionado as atividades de vida diária de uma amostra de 32 alunos de doutorado em Saúde Pública e Ciências Educação da Universidad Americana – Assunção – PY. Para essa investigação foi utilizado o questionário Medical Outcomes Study Questionaire 36 – Item Short Form Health Survey (SF-36) que avalia a qualidade de vida relacionada à saúde. Nessa pesquisa foram avaliados: a amostra geral, o conjunto de homens e mulheres e o conjunto de profissionais de saúde e professores. Resultados e discussão: No que diz respeito à média da amostra de 32 indivíduos investigados, os resultados da pesquisa revelaram que a capacidade funcional está acima da média (80%); os aspectos físicos estão na média superior (70%); a dor está abaixo da média (20%); o estado geral de saúde, a vitalidade e os aspectos sociais classificam-se como medianos; os aspectos emocionais estão acima da média (80%); os aspectos mentais encontram-se na média superior (60%). Não há diferenças significativas entre homens e mulheres. Na comparação das médias relativas à profissão dos indivíduos da amostra, percebe-se que não há diferenças significativas na saúde geral e qualidade de vida de professores e profissionais de saúde, destacando que a capacidade funcional dos profissionais de saúde é levemente superior a dos professores e os aspectos físicos dos professores são melhores do que o mesmo item pesquisado em profissionais de saúde. Conclusões: A amostra geral estudada apresentou uma boa qualidade de saúde e na comparação entre os grupos estudados, não houve diferenças muito significativas.

11H00 – Profa. Martha Caroline

EFICÁCIA AUTORREGULADORA EM ESCRITA DE REDAÇÃO: DIFERENÇAS ENTRE PRÉ-VESTIBULANDOS ORIUNDOS DO ENSINO PÚBLICO E DO PRIVADO

CLIQUE AQUI

Martha Caroline Duarte de Brito Freitas – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
Este trabalho teve como objetivo verificar se haveria diferença entre a crença de autoeficácia para planejar, organizar e executar a escrita de dissertação-argumentativa de 39 alunos oriundos de escola pública e do ensino privado, que cursavam um Pré-Vestibular na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Realizou-se um estudo de caso, através da aplicação de um Inventário de Eficácia Autorreguladora em Escrita, de autoria dos pesquisadores Albert Bandura e Barry Zimmerman (1994). Essa investigação apontou que, com uma pequena diferença, os alunos provenientes de escola particular apresentaram uma crença de autoeficácia mais positiva que os outros que realizaram seus estudos na rede pública, demonstrando que os últimos necessitam mais de direcionamentos e estratégias autorreguladoras que propiciem o desenvolvimento da escrita de redação

14h00 – Profa. Bianca Acampora

FUNÇÕES EXECUTIVAS E METACOGNIÇÃO: INFLUÊNCIAS NA APRENDIZAGEM

CLIQUE AQUI

Bianca Isabela Acampora e Silva – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
O presente estudo visa analisar as influências dos conhecimentos da neurociência no campo da educação, a saber: as funções executivas e a metacognição. As funções executivas que podem influenciar diretamente na aprendizagem englobam as funções executivas cognitivas (habilidades de planejamento, flexibilidade cognitiva e comportamental, monitoramento de atitudes), funções de regulação da atividade (direcionada a metas) e funções dos processos metacognitivos (autorregulação e autoconsciência). O método utilizado foi pesquisa bibliográfica com base de dados Scielo com referencial teórico baseado nos autores Corzo (2013) e Jou e Sperb (2006).Os resultados obtidos com este estudo se referem à utilização da metacognição por parte do indivíduo para ampliação da sua aprendizagem. As funções executivas permitem que o indivíduo planeje, monitore e controle seus pensamentos, sua aprendizagem e, consequentemente, suas ações. A metacognição é um subsistema de controle (dentro das funções executivas) que, de acordo com as premissas de Jou e Sperb (2006) visam o monitoramento, a elaboração de estratégias para resolver problemas e situações, ocasionando a autorregulação e a autoconsciência e melhorando a aprendizagem. As conclusões deste estudo referem-se a uma aprendizagem eficaz através do uso das funções executivas e da metacognição que englobam o gerenciamento de metas e objetivos para que possa coordenar, monitorar e autorregular as próprias atividades mentais. De acordo com as ideias de Corso (2013) a aprendizagem ocorre quando o indivíduo coloca em prática determinados processos executivos que o levem a regular a própria atividade de pensamentos e ações. O indivíduo deve ser estimulado a ter algumas atitudes para aprender de forma mais eficaz: desenvolver o autoconhecimento sobre a sua cognição, avaliar a situação atual da sua atividade cognitiva e autorregulá-la. Dessa forma, o uso das funções executivas e da metacognição implica em uma aprendizagem de qualidade.

15h00 – Prof. Luis Anunciação
HANDS ON EM PSICOMETRIA: TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM NO R 

CLIQUE AQUI

Luis Anunciação – Especialista em Medidas psicológicas; Mestre e Doutorando em Psicometria

Resumo do trabalho

Técnicas de estatística e psicometria são essenciais para pesquisas em Psicologia, ainda mais no cenário em que se consideram as evidências científicas para realizar diferentes práticas. Estas técnicas podem ser ensinadas de diversas formas e por inúmeras plataformas e esta exposição pautou-se em como proceder com tais análises utilizando o Software gratuito R. Os dados analisados foram oriundos de duas pesquisas feitas com o instrumento “Tendência Empreendedora Geral – TEG”: uma contou com a participação de especialistas para mensurarem a validade dos itens e a segunda foi relacionada com análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI) frente aos resultados de uma pesquisa preliminar feita em São Paulo/2015. As técnicas matemáticas utilizadas foram o cálculo do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC) e o Modelo de 2 Parâmetros Logísticos (2PL) de uma regressão não-linear.

DIA 26/08 – SEXTA
09h00 – Profa. Bianca Acampora

FUNÇÕES EXECUTIVAS E METACOGNIÇÃO: INFLUÊNCIAS NA APRENDIZAGEM

CLIQUE AQUI

Bianca Isabela Acampora e Silva – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
O presente estudo visa analisar as influências dos conhecimentos da neurociência no campo da educação, a saber: as funções executivas e a metacognição. As funções executivas que podem influenciar diretamente na aprendizagem englobam as funções executivas cognitivas (habilidades de planejamento, flexibilidade cognitiva e comportamental, monitoramento de atitudes), funções de regulação da atividade (direcionada a metas) e funções dos processos metacognitivos (autorregulação e autoconsciência). O método utilizado foi pesquisa bibliográfica com base de dados Scielo com referencial teórico baseado nos autores Corzo (2013) e Jou e Sperb (2006).Os resultados obtidos com este estudo se referem à utilização da metacognição por parte do indivíduo para ampliação da sua aprendizagem. As funções executivas permitem que o indivíduo planeje, monitore e controle seus pensamentos, sua aprendizagem e, consequentemente, suas ações. A metacognição é um subsistema de controle (dentro das funções executivas) que, de acordo com as premissas de Jou e Sperb (2006) visam o monitoramento, a elaboração de estratégias para resolver problemas e situações, ocasionando a autorregulação e a autoconsciência e melhorando a aprendizagem. As conclusões deste estudo referem-se a uma aprendizagem eficaz através do uso das funções executivas e da metacognição que englobam o gerenciamento de metas e objetivos para que possa coordenar, monitorar e autorregular as próprias atividades mentais. De acordo com as ideias de Corso (2013) a aprendizagem ocorre quando o indivíduo coloca em prática determinados processos executivos que o levem a regular a própria atividade de pensamentos e ações. O indivíduo deve ser estimulado a ter algumas atitudes para aprender de forma mais eficaz: desenvolver o autoconhecimento sobre a sua cognição, avaliar a situação atual da sua atividade cognitiva e autorregulá-la. Dessa forma, o uso das funções executivas e da metacognição implica em uma aprendizagem de qualidade.

10H00 – Profa. Martha Caroline

EFICÁCIA AUTORREGULADORA EM ESCRITA DE REDAÇÃO: DIFERENÇAS ENTRE PRÉ-VESTIBULANDOS ORIUNDOS DO ENSINO PÚBLICO E DO PRIVADO

CLIQUE AQUI

Martha Caroline Duarte de Brito Freitas – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
Este trabalho teve como objetivo verificar se haveria diferença entre a crença de autoeficácia para planejar, organizar e executar a escrita de dissertação-argumentativa de 39 alunos oriundos de escola pública e do ensino privado, que cursavam um Pré-Vestibular na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Realizou-se um estudo de caso, através da aplicação de um Inventário de Eficácia Autorreguladora em Escrita, de autoria dos pesquisadores Albert Bandura e Barry Zimmerman (1994). Essa investigação apontou que, com uma pequena diferença, os alunos provenientes de escola particular apresentaram uma crença de autoeficácia mais positiva que os outros que realizaram seus estudos na rede pública, demonstrando que os últimos necessitam mais de direcionamentos e estratégias autorreguladoras que propiciem o desenvolvimento da escrita de redação

11h00 – Profa. Beatriz Acampora

SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE ALUNOS DE DOUTORADO

CLIQUE AQUI
Beatriz Acampora e Silva de Oliveira – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:

Atualmente a qualidade de vida vem sendo muito valorizada e envolve indicadores que englobam fatores objetivos, como saneamento básico e subjetivos, como satisfação e valorização da vida. Objetivos: avaliar a saúde e qualidade de vida dos alunos de doutorado dos cursos de ciências da educação e de saúde pública da Universidad Americana e comparar os resultados encontrados em ambos os grupos. Metodologia: Este estudo tem como enfoque a investigação da percepção da qualidade de vida relacionado as atividades de vida diária de uma amostra de 32 alunos de doutorado em Saúde Pública e Ciências Educação da Universidad Americana – Assunção – PY. Para essa investigação foi utilizado o questionário Medical Outcomes Study Questionaire 36 – Item Short Form Health Survey (SF-36) que avalia a qualidade de vida relacionada à saúde. Nessa pesquisa foram avaliados: a amostra geral, o conjunto de homens e mulheres e o conjunto de profissionais de saúde e professores. Resultados e discussão: No que diz respeito à média da amostra de 32 indivíduos investigados, os resultados da pesquisa revelaram que a capacidade funcional está acima da média (80%); os aspectos físicos estão na média superior (70%); a dor está abaixo da média (20%); o estado geral de saúde, a vitalidade e os aspectos sociais classificam-se como medianos; os aspectos emocionais estão acima da média (80%); os aspectos mentais encontram-se na média superior (60%). Não há diferenças significativas entre homens e mulheres. Na comparação das médias relativas à profissão dos indivíduos da amostra, percebe-se que não há diferenças significativas na saúde geral e qualidade de vida de professores e profissionais de saúde, destacando que a capacidade funcional dos profissionais de saúde é levemente superior a dos professores e os aspectos físicos dos professores são melhores do que o mesmo item pesquisado em profissionais de saúde. Conclusões: A amostra geral estudada apresentou uma boa qualidade de saúde e na comparação entre os grupos estudados, não houve diferenças muito significativas.

12h00 – Profa. Tatiana Picerno

NOÇÕES DE GESTALT TERAPIA

CLIQUE AQUI

Tatiana Picerno Guerra – Psicóloga Clínica

Resumo do trabalho:
A proposta deste trabalho é apresentar algumas noções sobre a psicoterapia da Gestalt. Suas influências, fontes, alguns conceitos e a forma como o processo se constrói. A gestalt terapia é uma abordagem dialógica, relacional onde terapeuta e cliente constroem essa relação conjuntamente de forma criativa, autêntica e espontânea. A espontaneidade é uma característica marcante. Por ser uma abordagem fenomenológica, as experiências são importantes no setting terapêutico. No que diz respeito ao fenômeno, pretende a autora fazer um paralelo com o aqui e agora que se apresenta, nesse momento que se vem experienciando em relação a representatividade dos psicólogos. Um convite à reflexão.

13h00 – Profa. Zélia Maria

DESAFIOS DOCENTES NA COMTEMPORANEIDADE

CLIQUE AQUI

Zélia Maria Freire de Oliveira – Doutora em Educação – UCB-DF

Resumo do trabalho:
Apresentamos recortes e análises de duas pesquisas. A primeira é sobre uma política afirmativa no ensino superior, observando que políticas públicas e privadas de caráter compulsório, facultativo ou voluntário, visam combater à discriminação racial, de gênero, de cor, de sexo e de origem nacional, a fim de corrigir os efeitos vigentes da discriminação praticada no passado. A segunda pesquisa expressa a necessidade de se colocar a criatividade – recurso humano natural – como partícipe das práticas pedagógicas em todos os níveis de ensino, inclusive o da educação superior, como forma de tornar o ensino-aprendizagem mais atrativo e eficiente. A criatividade é uma habilidade de sobrevivência para os próximos anos, uma exigência do mercado de trabalho e pesquisa na busca de solução de tantos problemas do mundo atual.

14h00 – Prof. Luis Anunciação
HANDS ON EM PSICOMETRIA: TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM NO R 

CLIQUE AQUI

Luis Anunciação – Especialista em Medidas psicológicas; Mestre e Doutorando em Psicometria

Resumo do trabalho

Técnicas de estatística e psicometria são essenciais para pesquisas em Psicologia, ainda mais no cenário em que se consideram as evidências científicas para realizar diferentes práticas. Estas técnicas podem ser ensinadas de diversas formas e por inúmeras plataformas e esta exposição pautou-se em como proceder com tais análises utilizando o Software gratuito R. Os dados analisados foram oriundos de duas pesquisas feitas com o instrumento “Tendência Empreendedora Geral – TEG”: uma contou com a participação de especialistas para mensurarem a validade dos itens e a segunda foi relacionada com análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI) frente aos resultados de uma pesquisa preliminar feita em São Paulo/2015. As técnicas matemáticas utilizadas foram o cálculo do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC) e o Modelo de 2 Parâmetros Logísticos (2PL) de uma regressão não-linear.

15h00 – Prof. João Oliveira

LINGUAGEM CORPORAL NO TRABALHO: ASPECTOS GERAIS

CLIQUE AQUI

João Batista de Oliveira Filho – – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:

Esse trabalho se trata de uma apresentação, sem rigor científico, voltada para a linguagem corporal no ambiente de trabalho e como isso pode influenciar nas relações comunicacionais. Entender o que se passa com o corpo pode nos dar duas vantagens: perceber o que se passa com o outro e administrar nossas próprias posturas afim de melhorar a comunicação no ambiente. A linguagem corporal, embora seja algo inerente ao ser humano, ainda é pouco explorada nos ambientes corporativos e pode trazer grandes benefícios de utilizada corretamente. As expressões faciais, microexpressões, posturas corporais, gestos, sinais ideomotores, contramedidas são elementos de um vasto cabedal linguístico ainda distante do conhecimento pleno da maioria dos profissionais. Essa apresentação não resume todo conhecimento sobre o tema mas abre uma oportunidade de ampliar os conhecimentos e destacar a possibilidade do sujeito, enquanto ser profissional e pessoal, investir mais de sua atenção nesses aspectos do comportamento humano. A produtividade com certeza poderá ser ampliada se os ruídos existentes na comunicação forem diminuídos através dessa expertise em particular.

16h00 – Profa. Maura Cobra

O INCENTIVO AOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DE SAÚDE NA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SUS: NEXOS ENTRE DELOR E PERRENOUD

CLIQUE AQUI

Maura Nogueira Cobra – Mestre em Saúde da Família – UNESA

Resumo do trabalho:

A partir da Criação do SUS, a formação de recursos humanos vem sendo discutida a respeito da mudança do perfil profissional capaz de consolidar o referencial teórico proposto nos princípios do SUS e da LDBEN. Sobre o perfil do profissional que se pretende formar nos Programas de Residência Multiprofissional refletiremos os quatro pilares da educação exposto por Delors: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Quanto ao papel do professor, que nos Programas de residência, denomina-se preceptor, refletiremos à luz de Perrenoud, as competências docentes frente à ação de educador e do profissional atuante. O estudo objetivou refletir sobre o perfil profissional que se pretende formar em consonância aos princípios do sistema; respaldar teoricamente esse debate baseado em Delors e Perrenoud quanto à formação baseada em competência, as competências do preceptor no processo formativo dos egressos; discutir o incentivo aos programas de residência multiprofissional como a melhor opção de formação lato sensu. O método adotado foi o de revisão de literatura. Os resultados apontaram que o perfil profissional do saber integral, humanista, ético e bioético poderá ser conquistado com êxito em programas de residência multiprofissional, pois diferentes saberes são compartilhados, reconhecidos e valorizados entre profissionais de diferentes áreas. Esse cenário favorece a vivência real do sistema de saúde e corrobora com o aprender a ser e aprender a conviver. Os programas em formato de residência oferecem 80% da carga horária práticas para 20% teórica e concorda com Perrenoud que afirma que a competência se concretiza através da prática, o que também se relaciona ao pilar, aprender fazer.

17h00 – Profa. Renata Borja

AGENDA COGNITIVA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LIFE-COACHING ESPECIFICAMENTE CONCEBIDA PARA AJUDAR AS PESSOAS A SUPERAREM SEUS CONFLITOS PESSOAIS E ANSIEDADES

CLIQUE AQUI

Renata Borja Pereira Ferreira de Mello – Mestranda em Relações Interculturais UAB-PT

Resumo do trabalho:
Este trabalho é a apresentação de uma agenda que une organização, planejamento, metas, estratégias, entre outros. Possui um guia com o objetivo de ensinar seus usuários a criarem novas estratégias, a fim de identificar e resolver problemas pessoais. Faz perguntas cujas respostas levam seus usuários a compreender seus pensamentos e emoções que gradualmente poderão ser modificados colaborando com a superação da crise. Erros cognitivos são apontados para ajudar as pessoas a reconhecer quando e quantas vezes eles são feitos, ensinando a lidar com esses erros. A agenda é um método de organização visando o bem-estar das pessoas.

27/08 – SÁBADO
09H00 – Profa. Martha Caroline

EFICÁCIA AUTORREGULADORA EM ESCRITA DE REDAÇÃO: DIFERENÇAS ENTRE PRÉ-VESTIBULANDOS ORIUNDOS DO ENSINO PÚBLICO E DO PRIVADO

CLIQUE AQUI

Martha Caroline Duarte de Brito Freitas – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
Este trabalho teve como objetivo verificar se haveria diferença entre a crença de autoeficácia para planejar, organizar e executar a escrita de dissertação-argumentativa de 39 alunos oriundos de escola pública e do ensino privado, que cursavam um Pré-Vestibular na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Realizou-se um estudo de caso, através da aplicação de um Inventário de Eficácia Autorreguladora em Escrita, de autoria dos pesquisadores Albert Bandura e Barry Zimmerman (1994). Essa investigação apontou que, com uma pequena diferença, os alunos provenientes de escola particular apresentaram uma crença de autoeficácia mais positiva que os outros que realizaram seus estudos na rede pública, demonstrando que os últimos necessitam mais de direcionamentos e estratégias autorreguladoras que propiciem o desenvolvimento da escrita de redação

10h00 – Profa. Bianca Acampora

FUNÇÕES EXECUTIVAS E METACOGNIÇÃO: INFLUÊNCIAS NA APRENDIZAGEM

CLIQUE AQUI

Bianca Isabela Acampora e Silva – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:
O presente estudo visa analisar as influências dos conhecimentos da neurociência no campo da educação, a saber: as funções executivas e a metacognição. As funções executivas que podem influenciar diretamente na aprendizagem englobam as funções executivas cognitivas (habilidades de planejamento, flexibilidade cognitiva e comportamental, monitoramento de atitudes), funções de regulação da atividade (direcionada a metas) e funções dos processos metacognitivos (autorregulação e autoconsciência). O método utilizado foi pesquisa bibliográfica com base de dados Scielo com referencial teórico baseado nos autores Corzo (2013) e Jou e Sperb (2006).Os resultados obtidos com este estudo se referem à utilização da metacognição por parte do indivíduo para ampliação da sua aprendizagem. As funções executivas permitem que o indivíduo planeje, monitore e controle seus pensamentos, sua aprendizagem e, consequentemente, suas ações. A metacognição é um subsistema de controle (dentro das funções executivas) que, de acordo com as premissas de Jou e Sperb (2006) visam o monitoramento, a elaboração de estratégias para resolver problemas e situações, ocasionando a autorregulação e a autoconsciência e melhorando a aprendizagem. As conclusões deste estudo referem-se a uma aprendizagem eficaz através do uso das funções executivas e da metacognição que englobam o gerenciamento de metas e objetivos para que possa coordenar, monitorar e autorregular as próprias atividades mentais. De acordo com as ideias de Corso (2013) a aprendizagem ocorre quando o indivíduo coloca em prática determinados processos executivos que o levem a regular a própria atividade de pensamentos e ações. O indivíduo deve ser estimulado a ter algumas atitudes para aprender de forma mais eficaz: desenvolver o autoconhecimento sobre a sua cognição, avaliar a situação atual da sua atividade cognitiva e autorregulá-la. Dessa forma, o uso das funções executivas e da metacognição implica em uma aprendizagem de qualidade.

11h00 – Prof. Luis Anunciação
HANDS ON EM PSICOMETRIA: TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM NO R 

CLIQUE AQUI

Luis Anunciação – Especialista em Medidas psicológicas; Mestre e Doutorando em Psicometria

Resumo do trabalho

Técnicas de estatística e psicometria são essenciais para pesquisas em Psicologia, ainda mais no cenário em que se consideram as evidências científicas para realizar diferentes práticas. Estas técnicas podem ser ensinadas de diversas formas e por inúmeras plataformas e esta exposição pautou-se em como proceder com tais análises utilizando o Software gratuito R. Os dados analisados foram oriundos de duas pesquisas feitas com o instrumento “Tendência Empreendedora Geral – TEG”: uma contou com a participação de especialistas para mensurarem a validade dos itens e a segunda foi relacionada com análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI) frente aos resultados de uma pesquisa preliminar feita em São Paulo/2015. As técnicas matemáticas utilizadas foram o cálculo do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC) e o Modelo de 2 Parâmetros Logísticos (2PL) de uma regressão não-linear.

12h00 – Prof. João Oliveira

LINGUAGEM CORPORAL NO TRABALHO: ASPECTOS GERAIS

CLIQUE AQUI

João Batista de Oliveira Filho – – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:

Esse trabalho se trata de uma apresentação, sem rigor científico, voltada para a linguagem corporal no ambiente de trabalho e como isso pode influenciar nas relações comunicacionais. Entender o que se passa com o corpo pode nos dar duas vantagens: perceber o que se passa com o outro e administrar nossas próprias posturas afim de melhorar a comunicação no ambiente. A linguagem corporal, embora seja algo inerente ao ser humano, ainda é pouco explorada nos ambientes corporativos e pode trazer grandes benefícios de utilizada corretamente. As expressões faciais, microexpressões, posturas corporais, gestos, sinais ideomotores, contramedidas são elementos de um vasto cabedal linguístico ainda distante do conhecimento pleno da maioria dos profissionais. Essa apresentação não resume todo conhecimento sobre o tema mas abre uma oportunidade de ampliar os conhecimentos e destacar a possibilidade do sujeito, enquanto ser profissional e pessoal, investir mais de sua atenção nesses aspectos do comportamento humano. A produtividade com certeza poderá ser ampliada se os ruídos existentes na comunicação forem diminuídos através dessa expertise em particular.

13h00 – Profa. Maura Cobra

O INCENTIVO AOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DE SAÚDE NA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SUS: NEXOS ENTRE DELOR E PERRENOUD

CLIQUE AQUI

Maura Nogueira Cobra – Mestre em Saúde da Família – UNESA

Resumo do trabalho:

A partir da Criação do SUS, a formação de recursos humanos vem sendo discutida a respeito da mudança do perfil profissional capaz de consolidar o referencial teórico proposto nos princípios do SUS e da LDBEN. Sobre o perfil do profissional que se pretende formar nos Programas de Residência Multiprofissional refletiremos os quatro pilares da educação exposto por Delors: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Quanto ao papel do professor, que nos Programas de residência, denomina-se preceptor, refletiremos à luz de Perrenoud, as competências docentes frente à ação de educador e do profissional atuante. O estudo objetivou refletir sobre o perfil profissional que se pretende formar em consonância aos princípios do sistema; respaldar teoricamente esse debate baseado em Delors e Perrenoud quanto à formação baseada em competência, as competências do preceptor no processo formativo dos egressos; discutir o incentivo aos programas de residência multiprofissional como a melhor opção de formação lato sensu. O método adotado foi o de revisão de literatura. Os resultados apontaram que o perfil profissional do saber integral, humanista, ético e bioético poderá ser conquistado com êxito em programas de residência multiprofissional, pois diferentes saberes são compartilhados, reconhecidos e valorizados entre profissionais de diferentes áreas. Esse cenário favorece a vivência real do sistema de saúde e corrobora com o aprender a ser e aprender a conviver. Os programas em formato de residência oferecem 80% da carga horária práticas para 20% teórica e concorda com Perrenoud que afirma que a competência se concretiza através da prática, o que também se relaciona ao pilar, aprender fazer.

14h00 – Profa. Beatriz Acampora

SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE ALUNOS DE DOUTORADO

CLIQUE AQUI
Beatriz Acampora e Silva de Oliveira – Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

Resumo do trabalho:

Atualmente a qualidade de vida vem sendo muito valorizada e envolve indicadores que englobam fatores objetivos, como saneamento básico e subjetivos, como satisfação e valorização da vida. Objetivos: avaliar a saúde e qualidade de vida dos alunos de doutorado dos cursos de ciências da educação e de saúde pública da Universidad Americana e comparar os resultados encontrados em ambos os grupos. Metodologia: Este estudo tem como enfoque a investigação da percepção da qualidade de vida relacionado as atividades de vida diária de uma amostra de 32 alunos de doutorado em Saúde Pública e Ciências Educação da Universidad Americana – Assunção – PY. Para essa investigação foi utilizado o questionário Medical Outcomes Study Questionaire 36 – Item Short Form Health Survey (SF-36) que avalia a qualidade de vida relacionada à saúde. Nessa pesquisa foram avaliados: a amostra geral, o conjunto de homens e mulheres e o conjunto de profissionais de saúde e professores. Resultados e discussão: No que diz respeito à média da amostra de 32 indivíduos investigados, os resultados da pesquisa revelaram que a capacidade funcional está acima da média (80%); os aspectos físicos estão na média superior (70%); a dor está abaixo da média (20%); o estado geral de saúde, a vitalidade e os aspectos sociais classificam-se como medianos; os aspectos emocionais estão acima da média (80%); os aspectos mentais encontram-se na média superior (60%). Não há diferenças significativas entre homens e mulheres. Na comparação das médias relativas à profissão dos indivíduos da amostra, percebe-se que não há diferenças significativas na saúde geral e qualidade de vida de professores e profissionais de saúde, destacando que a capacidade funcional dos profissionais de saúde é levemente superior a dos professores e os aspectos físicos dos professores são melhores do que o mesmo item pesquisado em profissionais de saúde. Conclusões: A amostra geral estudada apresentou uma boa qualidade de saúde e na comparação entre os grupos estudados, não houve diferenças muito significativas.

15h00 – Profa. Renata Borja

AGENDA COGNITIVA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LIFE-COACHING ESPECIFICAMENTE CONCEBIDA PARA AJUDAR AS PESSOAS A SUPERAREM SEUS CONFLITOS PESSOAIS E ANSIEDADES

CLIQUE AQUI

Renata Borja Pereira Ferreira de Mello – Mestranda em Relações Interculturais UAB-PT

Resumo do trabalho:
Este trabalho é a apresentação de uma agenda que une organização, planejamento, metas, estratégias, entre outros. Possui um guia com o objetivo de ensinar seus usuários a criarem novas estratégias, a fim de identificar e resolver problemas pessoais. Faz perguntas cujas respostas levam seus usuários a compreender seus pensamentos e emoções que gradualmente poderão ser modificados colaborando com a superação da crise. Erros cognitivos são apontados para ajudar as pessoas a reconhecer quando e quantas vezes eles são feitos, ensinando a lidar com esses erros. A agenda é um método de organização visando o bem-estar das pessoas.

16h00 – Profa. Tatiana Picerno

NOÇÕES DE GESTALT TERAPIA

CLIQUE AQUI

Tatiana Picerno Guerra – Psicóloga Clínica

Resumo do trabalho:
A proposta deste trabalho é apresentar algumas noções sobre a psicoterapia da Gestalt. Suas influências, fontes, alguns conceitos e a forma como o processo se constrói. A gestalt terapia é uma abordagem dialógica, relacional onde terapeuta e cliente constroem essa relação conjuntamente de forma criativa, autêntica e espontânea. A espontaneidade é uma característica marcante. Por ser uma abordagem fenomenológica, as experiências são importantes no setting terapêutico. No que diz respeito ao fenômeno, pretende a autora fazer um paralelo com o aqui e agora que se apresenta, nesse momento que se vem experienciando em relação a representatividade dos psicólogos. Um convite à reflexão.

17h00 – Profa. Zélia Maria

DESAFIOS DOCENTES NA COMTEMPORANEIDADE

CLIQUE AQUI

Zélia Maria Freire de Oliveira – Doutora em Educação – UCB-DF

Resumo do trabalho:
Apresentamos recortes e análises de duas pesquisas. A primeira é sobre uma política afirmativa no ensino superior, observando que políticas públicas e privadas de caráter compulsório, facultativo ou voluntário, visam combater à discriminação racial, de gênero, de cor, de sexo e de origem nacional, a fim de corrigir os efeitos vigentes da discriminação praticada no passado. A segunda pesquisa expressa a necessidade de se colocar a criatividade – recurso humano natural – como partícipe das práticas pedagógicas em todos os níveis de ensino, inclusive o da educação superior, como forma de tornar o ensino-aprendizagem mais atrativo e eficiente. A criatividade é uma habilidade de sobrevivência para os próximos anos, uma exigência do mercado de trabalho e pesquisa na busca de solução de tantos problemas do mundo atual.

DATA

 

de 24 a 27
de Agosto

realiza